terça-feira, 17 de novembro de 2009

PORQUE ÀS VEZES A NOSSA ORAÇÃO NÃO É OUVIDA?


Na carta do Aposto Paulo aos Filipenses capítulo 4 versículo 6 a palavra do Senhor Diz: Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graça.

Mas às vezes, temos a sensação que as nossas orações não são ouvidas, não há resposta, as mudanças não ocorrem, Deus tudo ouve, mas qual o motivo do silêncio que aperta o coração, há algo errado?

O Senhor Deus alerta sobre a necessidade do compromisso, para que as nossas petições subam diante do seu Trono de Glórias, porque no Evangelho de João 9.31 está escrito: Deus não ouve a pecadores, mas se alguém é temente a Deus e faz a sua vontade, a esse ele ouve. .

Para a oração ser ouvida, não basta só pedir, ela requer, primeiramente fé, arrependimento, conversão, direção do Espírito Santo, porque não sabemos o que havemos de pedir e como convém, mas o Espírito ajuda em nossas fraquezas e intercede por nós até com gemidos inexprimíveis.

No livro do Profeta Isaias Capítulo 59 Versículos 1 e 2, a palavra diz: Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar, nem o seu ouvido agravado, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus, e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.

Portanto amados, as mãos do Senhor não estão encolhidas para lhe abençoar, e nem os seus ouvidos vedados para não ouvir, mas estando em pecado, as orações não são elevadas diante de Deus, porque as transgressões se constituem em uma barreira para que os ouvidos do Senhor não as ouçam, porque Deus não faz comunhão com o pecado, Ele disse: Sede santo, porque Eu sou Santo.

A primeira carta universal do Apóstolo Pedro 3.12 diz: Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos, atentos às suas orações; mas o rosto do Senhor é contra os que fazem males.

I João 1.8 a 10 e 2.1 - Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentirosos, e a sua palavra não está em nós.

Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo.

A palavra do Senhor assegura que todos somos pecadores, e se dissermos que não há pecado em nós, tornamo-nos mentirosos, mas também nos conforta e nos dá a certeza que temos um Advogado que está à destra do Deus Pai, e por nós pecadores intercede, quando há arrependimento de toda má obra que praticamos.

O Senhor nos ensina também, que além do arrependimento para recebermos o perdão dos pecados pelo sangue do Senhor Jesus, necessário é, que saibamos perdoar aqueles que nos tem ofendido, porque se não perdoarmos aos nossos devedores, o Pai, também não nos perdoará (Mateus 6.14, 15), e, se não recebermos a “Graça” do perdão, as nossas petições não chegarão diante do trono de Glória do Deus Pai.

No texto abaixo, o Senhor Jesus nos ensina como devemos nos dirigir ao Pai, não com hipocrisia, falsidade, nem para sermos vistos pelos homens, mas com humildade, e pureza de coração.

No Evangelho de Mateus 6.5 a 8, O Senhor Jesus, em sua infinita bondade e sabedoria, instrui que o aposento do espírito é o nosso corpo, sendo a boca a porta de entrada deste aposento, e quando nos dirigirmos a Deus, a porta deverá ser fechada, como também, não devemos usar de vãs repetições, porque o Senhor já conhece todas as nossas necessidades antes mesmo de abrirmos a boca.

O livro de Eclesiastes 5.2, 3, 7 diz: Não te precipites com a tua boca, nem o seu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está no céu e tu está sobre a terra, pelo que sejam poucas as tuas palavras.

Porque, da muita ocupação vem os sonhos, e a voz do tolo da multidão de palavras. Porque, na multidão dos sonhos há vaidades, assim também nas muitas palavras, mas tu temes a Deus.

A Oração é uma aproximação do servo ao Senhor Deus que se faz pela fé, e o Senhor nos ouvirá não pelo muito falar, mas à medida da fé, humildade e a pureza de coração, porque a oração é o ápice da comunhão entre o homem e o Deus Altíssimo, por meio de palavras ou do pensamento.

Apesar da fé e confiança que depositamos em Deus Criador, às vezes as nossas orações não são atendidas, porque pedimos coisas que não são da vontade do Senhor, em Tiago 4.3 a palavra do Senhor diz: Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vosso deleite.

Precisamos entender que o sangue do Senhor Jesus Cristo na cruz do Calvário, não foi para nos atender em coisas desnecessárias e supérfluas, o maior patrimônio, a maior riqueza que podemos alcançar não são as coisas deste mundo, mas a sua paz, a graça e a infinita misericórdia do Senhor Jesus Cristo, e principalmente, a oferta da vida eterna junto ao Pai.

Para que a nossa oração chegue diante do Trono de Glória Deus, e seja por “Ele” ouvida, é indispensável uma vida em comunhão com Cristo, e a submissão à inteira vontade de Deus, o arrependimento para recebermos o perdão do Senhor Jesus, e, principalmente perdoarmos aqueles a quem nos tem ofendido.

Devemos sempre que possível, nos colocar de joelho (Efésios 3.14) diante do Senhor. Agradecer as bênçãos já recebidas, e pedir ao Pai, em nome do Senhor Jesus Cristo, crendo que as nossas petições serão ouvidas e atendidas, porque Jesus Cristo é o único mediador entre Deus e o homem.

Em hipótese alguma podemos duvidar do poder de Deus, o que duvida é semelhante às ondas do mar que são levadas pelo vento e lançadas de um lado para outro (Tiago 1.6), porque para Deus nada é impossível. Quem pede ao Senhor duvidando, certamente não será atendido.

Disse o Senhor ao profeta Jeremias (29.12, 13): Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei. E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração.

A ORAÇÃO FORTE EXISTE? - Temos ouvido alguns pregadores falar em “oração forte”. Mas, que oração forte é essa que não faz parte do Evangelho de Cristo? E o que não consta no Evangelho não é bíblico, e não sendo bíblico não poderá ser praticado porque é doutrina de homem, e está fora dos propósitos de Deus. Oração forte é uma linguagem herdada do espiritismo.

No Evangelho de Mateus 21.22, disse Jesus: “E tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis”.

A Bíblia não menciona oração forte ou oração fraca, mas diz: Tudo o que pedirdes “crendo o recebereis”. Esta é a condição, ter fé suficiente para a sua oração chegar aos ouvidos de Deus. Crer incondicionalmente de todo coração, que as mãos do Senhor estão voltadas para te abençoar, quando pedimos alguma coisa que seja da sua vontade.

Na carta Universal do Apóstolo Tiago 5.15, 16 diz: A oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará, e se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.

Podemos observar no início deste texto que Deus não ouve a pecadores, portanto, não basta ter compromisso o dízimo, com campanhas, ou com o pastor da sua igreja, se não tiver despojado do velho homem pecador e revestido do novo nascimento de Cristo em seu coração, tudo será em vão.

É indispensável o compromisso com o Senhor Jesus Cristo, pois no seu Evangelho, todos que recebiam curas, e libertações, o Senhor sempre lhes dizia: A tua fé te salvou. Não há referência alguma de Cristo dizendo: A tua fé te curou. Porque pela fé, vem a “Graça” do Senhor Jesus Cristo e a oferta da salvação para a vida eterna. Para isso Ele veio, não só para nos aliviar da opressão, mas principalmente, buscar e salvar aquele que estava perdido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário